Muitas mulheres não dispensam o uso de um bom par de sapatos altos. Elegantes e sensuais, eles conferem muita confiança e deixam qualquer look completamente perfeito. No entanto, é preciso tomar alguns cuidados com o seu uso durante a gravidez. E então, uma gestante pode usar salto alto?

Antes de mais nada, devemos responder que não, salto alto não é recomendado durante a gestação. Nessa fase, diversas alterações ocorrem no organismo feminino e elas podem fazer com que lesões sejam causadas devido ao uso de tais calçados.

Mas afinal, quais são essas lesões e por que elas ocorrem? Quais são os sintomas e maneiras de prevenção? Como os sapatos de salto alto interferem nessa situação? Confira as respostas para essas respostas no artigo a seguir. Boa leitura!

E aí, uma gestante pode usar salto alto?

Como podemos perceber no início de nossa conversa, fazer uso de sapatos com salto alto durante a gravidez pode não ser uma boa ideia. Embora seja extremamente importante manter a vaidade e permanecer bonita, é necessário fazê-lo com outros tipos de calçados, como sapatilhas, tênis confortáveis e sandálias baixinhas.

Existem várias razões para isso, que vão desde alterações hormonais a mudanças ocorridas na estrutura óssea da mulher. A seguir, veremos algumas das causas com um pouco mais de tranquilidade.

A primeira razão está relacionada a um hormônio conhecido como progesterona. Durante a gestação, a sua liberação no organismo é feita de maneira muito mais intensa, preparando o corpo da mulher para tudo que está por vir. Uma dessas alterações é a frouxidão dos ligamentos, especialmente os da região lombar e do abdômen, permitindo a extensão dessa área.

Embora sua função seja permitir que a barriga da grávida cresça, esses hormônios passarão por todo o corpo, inclusive os membros inferiores. Isso pode deixar os tornozelos e pernas mais frágeis e facilitar uma lesão nessa região, além de fazer com que a estabilidade seja prejudicada, o que pode causar desequilíbrios e quedas, perigosas tanto para a mãe quanto para o bebê.

Além disso, também é comum que as gestantes sofram com a retenção de líquidos. Com a força da gravidade, o maior acúmulo ocorre justamente na região dos pés, a mais inferior de nosso corpo. Por isso, usar saltos e sapatos muito “estilosos” pode não ser muito confortável durante esse período e fazer com que a circulação seja comprometida.

Quais são os principais riscos do uso de salto alto durante a gestação?

Como vimos, o uso de saltos altos durante a gravidez pode ser prejudicial por conta de uma série de alterações, a maioria delas hormonais, que ocorre no corpo da mulher. Agora, chegou a hora de vermos exatamente quais são as consequências desse uso e como ele pode impactar a qualidade de vida da gestante. Vamos lá?

Cãibras

Você já sofreu com cãibras alguma vez? Se sim, sabe que esse tipo de situação não é nada agradável e causa uma dor às vezes insuportável. Elas nada mais são do que espasmos e contrações que ocorrem em nossos músculos, causados pela fadiga do mesmo, normalmente após um grande estresse ou esforço.

No caso das grávidas que usam salto alto, essa é exatamente a razão pela qual as cãibras ocorrem. A gestante está carregando um peso extra e se equilibrar em alguns centímetros de material pode fazer com que o corpo entre em estresse, o que causa repetidas cãibras, especialmente na panturrilha (conhecida como batata da perna).

Dores nas costas

Como vimos anteriormente, a gravidez faz com que uma grande quantidade de hormônios seja liberada no organismo da mulher. Alguns deles atuam diretamente nos ligamentos, fazendo com que eles fiquem mais soltos e menos aderidos.

Isso afeta também a coluna, que é completamente revestida por essas estruturas e pode ser prejudicada. Além disso, a maior parte desses hormônios age na região do abdômen, o que faz com que a lombar também seja atingida e que a mulher sofra com dores nessa região.

Problemas no equilíbrio

Esse afrouxamento dos ligamentos também pode fazer com que o equilíbrio da gestante seja prejudicado, já que a estabilidade dos membros inferiores e da lombar (uma das regiões responsáveis pelo equilíbrio) é comprometida durante essa fase.

Por isso, se equilibrar em saltos altos e finos durante a gestação não é a melhor ideia. Isso pode ocasionar em quedas, que, por sua vez, podem trazer lesões graves e até mesmo machucar o bebê, dependendo da intensidade do acidente.

Distensões musculares

As distensões musculares, também conhecidas como estiramentos, ocorrem quando há um grande esforço nos músculos, fazendo com que as suas fibras (células que compõem a sua estrutura) se rompam. Isso causa uma dor muito intensa e pode impossibilitar os movimentos do indivíduo por muitas semanas.

Por isso, o melhor é evitar o uso desse tipo de calçado para que os músculos das pernas não fiquem sob um estresse elevado. O tratamento para as distensões musculares consiste em repouso completo até que as fibras se refaçam e a pessoa possa voltar às suas atividades.

Problemas na circulação

Como foi dito anteriormente, a gravidez faz com que a gestante retenha muito líquido em seu organismo. Essa é uma consequência natural da gestação e a gravidade faz com que ocorra um acúmulo extra na região das canelas, tornozelos e pés.

Por conta disso, utilizar sapatos de salto alto (que normalmente são bastante estreitos) pode prejudicar a circulação sanguínea, causando ainda mais inchaço e podendo acarretar em sérios problemas para a saúde da mãe e também do bebê que está em seu ventre.

Agora você já sabe se uma gestante pode usar salto alto. Esse tipo de prática pode ser extremamente prejudicial para o organismo durante a gravidez, quando milhares de alterações estão acontecendo simultaneamente e o corpo precisa relaxar. Nesse período, é recomendado o uso calçados baixinhos e confortáveis, que tragam toda a proteção e segurança necessária!

Gostou deste artigo? Que tal, então, compartilhá-lo em suas redes sociais? Assim, futuras mães também podem ficar cientes dos perigos do salto alto para a saúde durante a gestação e você pode ajudá-las!