• Post category:Sintomas

Ficar além do expediente no escritório todos os dias, levar tarefas para casa, passar o fim de semana pensando no emprego: essas situações mostram que o trabalho se sobrepõe à vida pessoal, causando um desequilíbrio. O excesso de trabalho pode impactar na saúde do corpo e da mente.

Quem se encontra nessa situação exaustiva pode desenvolver ansiedade, síndrome do pânico e doenças cardiovasculares. O excesso de trabalho também está relacionado às dores musculares e nas costas.

Quer saber mais? Acompanhe este texto e conheça o impacto que o trabalho exaustivo pode provocar na sua qualidade de vida. Confira!

Síndrome de Burnout

Desde a revolução industrial, no século XVIII, observa-se um distúrbio de comportamento relacionado ao excesso de trabalho. Trata-se da Síndrome de Burnout ou Síndrome do Esgotamento Profissional.

Essa doença psíquica é caracterizada por mudanças súbitas de comportamento, as quais se manifestam com irritabilidade, falta de interesse para o trabalho, necessidade de ficar isolado e sintomas de paranoia.

Essa síndrome ocorre quando há um desgaste da rotina de trabalho ou quando ele se torna excessivo. Geralmente essa doença é confundida com depressão, mas um diagnóstico criterioso consegue diferenciá-la pelo fato de que o ambiente de trabalho exaustivo é o gatilho preponderante.

Fadiga

Sabia que o excesso de trabalho também pode afetar o sistema imunológico, causando fadiga? Isso mesmo! A relação se dá pelo fato de que uma pessoa que trabalha excessivamente começa a produzir muito cortisol, o hormônio ligado à defesa do nosso organismo.

Com o aumento exacerbado dessa substância, o corpo entende que não é mais preciso se proteger, o que faz com que a pessoa fique mais propensa a adquirir diversas doenças que causam fadiga. Algumas delas são gripes leves, resfriados e vertigem.

Depressão e ansiedade

O excesso de trabalho pode contribuir para o desenvolvimento de quadros de depressão e ansiedade. De modo geral, a depressão é caracterizada pela perda de interesse por atividades diárias. Além disso, a pessoa depressiva não responde mais a estímulos de prazer, ficando desmotivada e tendo sofrimento em diferentes aspectos da vida.

Atrelada à depressão ou atuando de forma isolada, é possível que o excesso de trabalho também cause ansiedade. Esse quadro é identificado pelo constante estado de inquietação e tensão. Fisicamente, é comum ocorrer um aumento da frequência cardíaca de maneira inadvertida. Psicologicamente, existe uma intensa preocupação com o futuro, deficit de atenção e até mesmo o surgimento de crises nervosas.

Transtornos alimentares

A forma como você come pode mudar bruscamente quando você trabalha excessivamente. O estresse criado por esse tipo de comportamento no trabalho pode fazer com que seu organismo entenda que precisa comer mais, para acumular energia disponível para as intensas atividades realizadas.

Nesse sentido, é comum surgirem transtornos alimentares, tal como a compulsão alimentar. Esse distúrbio se caracteriza pela ingestão de grandes quantidades de alimento em curtos intervalos de tempo. Geralmente esse quadro é desencadeado pela necessidade de obter prazer momentaneamente a fim de amenizar frustrações e insatisfações no emprego.

Síndrome do pânico

A síndrome do pânico é um transtorno de ansiedade. Ela se caracteriza pela sensação súbita de pressão, angústia, como se não houvesse possibilidade de ir para outro lugar. Tudo sem uma causa aparente, mas intensamente influenciado pelas condições exaustivas de trabalho. É comum, por exemplo, a pessoa com síndrome do pânico ter a sensação de que vai morrer a qualquer instante.

Esse tipo de sofrimento não atinge apenas o indivíduo. Família e amigos podem ser prejudicados, uma vez que é comum que a pessoa com síndrome de pânico precise de ajuda de pessoas próximas. Como consequência, muitas pessoas com essa síndrome deixam de realizar atividades sociais por medo de prejudicar os outros.

Doenças cardiovasculares

Atividades e situações estressantes no trabalho acabam afetando a saúde do coração. O fluxo de sangue e a frequência cardíaca são elevados quando a pressão e estresse no trabalho são constantes.

Além disso, há a liberação de substâncias na corrente sanguínea que acabam desequilibrando a atividade cardíaca. Doenças cardiovasculares podem surgir em decorrência disso. Entre elas: formação de coágulos, hipertensão arterial, elevação do risco de infarto e acidente vascular cerebral (AVC).

Insônia

Por acaso você passa noites seguidas sem dormir por causa de pensamentos sobre o seu emprego? Então você pode estar trabalhando exaustivamente. A insônia ocorre porque o quadro de ansiedade gerado pelo trabalho exagerado não permite que seu corpo se tranquilize para aguardar a chegada do sono.

Ficar sem dormir pode gerar diversos prejuízos psíquicos e até mesmo para o cotidiano. A pessoa que não dorme acaba tendo dificuldades de memória e concentração. Todas as situações pelas quais passamos diariamente precisam ser efetivamente retrabalhadas pelo sono, para que as memórias sejam reorganizadas.

Além disso, uma pessoa que sofre de insônia não descansa fisicamente. Ela fica com a sensação de cansaço durante todo o dia. Isso compromete a sua rotina pessoal e profissional, afetando o seu dia a dia.

Dores musculares e na coluna

Quando está cumprindo atividades excessivas, o nosso organismo começa a se sentir pressionado, realizando esforços além do que está preparado. Por isso que geralmente o excesso de trabalho causa problemas de postura, dores musculares e nas costas, dor lombar e dor ciática.

Isso acontece porque o trabalho mal elaborado faz as estruturas do corpo perderem sua posição correta, atingindo os músculos, as vértebras e a coluna. Especialmente essa última é de fundamental importância para garantir o sustento, o equilíbrio e o movimento normal do corpo.

Nesse sentido, é preciso buscar um tratamento capaz de prevenir e tratar essas desordens do sistema neuro-músculo-esquelético. Quem pode fazer isso é a quiropraxia. Essa área entende que esses sistemas estão interligados e podem ser manipulados para ganhar um melhor ajuste. Utilizando apenas técnicas precisas e adequadas com as mãos, o quiropraxista consegue realinhar a coluna, as articulações e os músculos para garantir a movimentação correta.

Esses são alguns problemas que excesso de trabalho provoca na qualidade de vida das pessoas. É importante ter um estilo de vida saudável e equilibrado. Atividades de integração, lazer, orientação psicológica e quiropraxia são excelentes ferramentas que devem ser usadas por empresas para diminuir a ocorrência dessas doenças de trabalho.

Gostou dessas informações? Então compartilhe este texto com seus amigos nas redes sociais!