O trabalho em excesso é um problema cada vez mais recorrente em nossa sociedade. A população está, com o passar do tempo, dedicando-se a jornadas mais longas e exaustivas e, consequentemente, destinando uma parcela insuficiente de seu tempo ao descanso e ao lazer.

A longo prazo, esse tipo de rotina traz efeitos negativos para a saúde física e mental dos indivíduos que exageram na quantidade de horas passadas trabalhando. Por isso, entender as consequências desse excesso é fundamental para que saibamos exatamente por que e quando parar.

Pensando nisso, preparamos uma pequena lista com algumas das consequências mais graves do excesso de trabalho para o nosso bem-estar e qualidade de vida, mostrando as razões pelas quais você precisa desacelerar para se manter saudável. Vamos lá? Boa leitura!

Fadiga excessiva

O cansaço excessivo é uma das consequências mais comuns e imediatas do trabalho em excesso. Afinal, longas horas de jornada e pouco descanso não permitem que o nosso organismo recarregue as suas energias e se prepare para o próximo dia.

Por isso, respeite as suas folgas e, sempre que possível, durma uma boa quantidade de horas para que seu organismo possa se recuperar do dia que acabou. Isso é essencial para garantir a energia e a produtividade durante a semana.

Mal-estar físico e mental

O mal-estar físico está diretamente relacionado à falta de descanso. Trabalhar demais traz consequências nocivas para o corpo, como dores e uma série de problemas de saúde que podem se intensificar com o tempo.

Além disso, a estafa mental é outro problema muito comum. Como dormimos pouco, nos distraímos ainda menos e estamos sempre preocupados com prazos e obrigações, o nosso cérebro tende a ficar sobrecarregado e praticamente ‘’desligar’’. Por isso, não são incomuns períodos de total e completa improdutividade, além de bloqueios criativos e outras consequências.

Powered by Rock Convert

Dores pelo corpo

As longas horas trabalhando, muitas vezes sem os devidos cuidados ergonômicos, fazem com que as dores no corpo apareçam frequentemente. Outro ponto preocupante é o estresse, que tende a tensionar os músculos e deixá-los doloridos.

Nesse caso, a melhor medida é dedicar uma parcela de seu tempo para a realização de atividades físicas ou para sessões de terapias alternativas, como é o caso da quiropraxia, da acupuntura ou do pilates.

Queda na produtividade

Dores, cansaço e bloqueio mental são sinônimos de queda na produtividade. Afinal, um indivíduo estressado, cansado e sentindo dores e desconfortos não consegue produzir na mesma velocidade e qualidade do que alguém cheio de energia.

Pode parecer estranho, mas a melhor maneira de evitar esse tipo de problema é justamente saber quando parar. Tire um tempinho para descansar, jogar conversa fora e assistir aos seus programas de televisão prediletos. O cérebro precisa de momentos de distração para funcionar a todo vapor em seguida!

Problemas nas relações sociais

Por fim, outra consequência muito grave do excesso de trabalho é a queda na qualidade das relações interpessoais. Uma das razões está diretamente ligada ao pouco tempo disponível para interagir com amigos e com a própria família, mas isso não é tudo.

Pessoas estressadas tendem a se tornar ansiosas, depressivas ou até mesmo pouco tolerantes ao convívio com outros indivíduos. Por isso, dê bastante valor ao contato com aqueles que você ama, evitando problemas em seus relacionamentos.

E aí, viu só como o trabalho em excesso pode ser nocivo para o seu dia a dia? Considere tirar um tempo para realizar atividades prazerosas e diminua o ritmo. Afinal, você precisa estar muito forte e saudável para dar conta de suas obrigações e produzir com qualidade, não é mesmo? Por isso, cuide de seu corpo e de sua mente com hábitos saudáveis!

Para conhecer outros efeitos negativos do trabalho em excesso para o nosso organismo, confira outro artigo sobre os problemas trazidos por essa prática para a qualidade de vida e saiba como evitá-los!

Fechar Menu